22 junho 2005

Há Limite para a Crueldade Humana?

Estou simplesmente chocado com o que acabei de ver. Infelizmente, eu vi uma realidade negra, mas que precisa ser divulgada. Não é mais uma brincadeirinha na internet nem outro interminável HOAX. Peço a todos vcs, em nome de nossa amizade e carinho mútuos, e em nome da dignidade do próprio ser humano, que leiam este artigo e vejam o que aguentarem do vídeo que estará disponível no link enviado mais abaixo.

Eu sei que muitos de nós (infelizmente) consideram animais como meras criaturas desprovidas de alma, portanto, num patamar inferior ao do homem, "a única criatura tocada por Deus e então superior a todos os animais". Isto para mim é apenas uma desculpa, totalmente infundada, para justificar as maiores atrocidades, às quais nos acostumamos pelos séculos e até milênios passados. (Por favor, não deixem de ler a
mensagem toda, mesmo que eu me demore um pouco).

Se tivermos senso crítico e analisarmos friamente a questão, aos animais não foi reconhecida a alma, apenas para que não fosse pecado matá-los, esquartejá-los, utilizá-los como vestimenta, e comê-los, entre dezenas de outros atos que seriam imediatamente pecados capitais se fossem cometidos contra outro ser humano. Toda religião precisa adaptar-se ao seu contexto histórico e costumes. Não seria viável, na época do início do Cristianismo, e antes até, na época do florescimento do Judaísmo e outras religiões monoteístas, que se considerasse pecado utilizar os animais ao bel-prazer da humanidade. Era simplesmente uma questão de sobrevivência, e a religião não criaria dogmas que fossem empecilhos para a sobrevivência do homem.

Porém, hoje em dia, não há mais motivo algum, a não ser a vaidade, crueldade e enorme ganância humanas para que continuemos cometendo tais crimes contra criaturas certamente tão amadas por Deus quanto nós o somos.

Tudo e o porque do que disse ficará claro ao verem o vídeo que se encontra no seguinte link:

http://www.strasbourgcurieux.com/fourrure/portugues.php

Este vídeo contém cenas chocantes. Ele nos causará um imenso sentimento de revolta ao ser assistido. O início, embora forte, será suportável por qualquer pessoa normal, já o decorrer do filme poderá ser perturbador, portanto, se vc for uma pessoa impressionável não desista e veja pelo menos o início, pois tenho a certeza de que isso bastará para despertar em você um nobre sentimento para com os pobres animais, e lhe mostrará a verdade por trás dos lindos artigos de luxo feitos de peles, pendurados em lojas "chiques", deixando na sombra do lucro que advêm de sua comercialização uma mancha difícil de ser apagada da alma humana.

Quanto mais indefesa é uma criatura, mais sórdido é o abuso e violência contra a mesma. Nossa responsabilidade como seres no topo da evolução (ponto de vista controverso) é de velar pelo bem-estar de todo nosso planeta e de seus habitantes, que, muito mais do que qualquer um de nós, têm pleno direito de aqui viver em paz.

Vocês devem se lembrar vagamente da controvérsia sobre a Giselle Bundchen, que disse que "usa mesmo peles de animais"... bem, agora realmente podemos ter plena noção do quanto desumana esta senhorita se mostrou, e porque nunca poderemos esquecer disso.

Quem come carne não pode ter nojo do açougueiro. Cada vendedor, cada empresário, cada ministro de Estado, cada homem que se beneficia destes crimes, até mesmo o próprio Estado, é um cúmplice diante dos assassinatos e atrocidades cometidos contra os animais. O homem que perdoa um pecado porque usufrui do seu resultado é igualmente culpado por ele.

Mais informações sobre o assunto:

O vídeo vem deste site suíço
http://www.protection-animaux.com/

links em português
http://www.animal.org.pt/
http://www.pea.org.br/
http://geocities.yahoo.com.br/AnimaisSOS/peles.html
http://gaia.org.pt/

links em inglês
http://www.peta.org/
http://www.onevoice-ear.org/

Um comentário:

Ricardo disse...

Nunca haverá limites para a crueldade humana, pois crueldade é uma coisa natural do mundo. Sempre existiu e sempre existirá.

Mas, ao adquirirmos uma capacidade maior de raciocinar comparada à outros animais, podemos ao longo do tempo, educar os homens para que ao longo dos séculos diminuirmos o sofrimento terrestre.