19 agosto 2014

Respeito é bom e eu gosto

As pessoas tem a distorcida noção do que seja respeitar uma opinião. Você não é obrigado a deixar de achar uma opinião uma idiotice total para respeitá-la. Respeitar opiniões é não SUPRIMI-LAS! Você de fato desrespeita opiniões quando tenta impedir que as pessoas as tenham ou exprimam. Experimento: Imagina uma pessoa exprimindo a opinião de que a Lua é feita de queijo. Isto é uma idiotice total, mas a pessoa tem todo o direito de ter esta opinião, mesmo diante de toda evidência científica em contrário. Você não é obrigado a aceitar esta opinião como correta, muito menos deixar de achá-la uma imbecilidade. Lembre que pessoas muito inteligentes também tem opiniões idiotas, veja Tom Cruise e John Travolta por exemplo, ambos acreditam na Cientologia. Uma opinião idiota não faz da pessoa um imbecil (se a pessoa só tiver opiniões idiotas, a história é outra). Portanto não tenha vergonha de acharem suas opiniões imbecis, mas lute até a morte pelo direito de dizê-las (parafraseando Voltaire). As opiniões mais imbecis do passado, como a Terra girando em torno do Sol, não eram tão idiotas assim, eram? Mas, claro, não seja idiota de dizer por aí que a Lua é feita de queijo...

Politicamente (in)correto

Esta vai diretamente como um soco na fuça dos defensores do politicamente correto:

"Se você se ofende com uma piada, o problema é seu, não da piada. Não são as piadas que precisam mudar, são as pessoas. Uma pessoa incapaz de rir de si mesma, de sua própria desgraça, ou situação, é o tipo de pessoa que alimenta regimes, seitas e ideologias intolerantes e nem se dá conta disso!"

01 julho 2014

Harmonia

Harmonia, na minha opinião deveria ser a única "religião" da humanidade. Nada de humanismo (que é centrado em nossos umbigos). Nada de Cristianismo, Judaísmo, Hinduísmo e baboseiras semelhantes. O único motivo da raça humana deveria ser a HARMONIA com nosso planeta e as criaturas que aqui vivem. Deveríamos ser os "jardineiros" e "pastores" desta Terra que tudo nos deu e que maltratamos como uma doença pestilenta.

22 dezembro 2013

Pirataria ou humanismo?

"Pirataria" como existe nos camelôs, e nos copistas da China, sim, é um crime horrendo, mas o ato de compartilhar, a "pirataria pessoal", nunca, em momento algum, poderia ser taxada como criminosa e combatida da forma que é. Isto somente defende os interesses de grandes gravadoras, em detrimento até mesmo dos artistas (embora sob a bandeira de sua defesa) e, principalmente, é contra os interesses justamente dos Direitos de Autor, que foram criados para, primordialmente, fomentar a disseminação do conhecimento e das artes.

O "combate" à pirataria defende, na verdade, a manutenção de um monopólio lucrativo em cima de obras, restringindo sua distribuição (o mundo é divido em regiões, com estratégias diversas para distribuição de obras, restrições - quantas vezes você não conseguiu ver um vídeo no youtube porque ele estava restrito em sua região -, preços diferenciados visando o lucro máximo possível, etc.)

Compartilhar é o termo perfeito para definir o que eles chamam de pirataria. Compartilhar é algo, para quem crê, totalmente Cristão... para quem não crê: humanista.

Só mesmo interesses escusos para transformar isto em algo deplorável, em crime, em subversão.

PS.: fui inspirado por este post no facebook: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10151303408529040&set=a.103822499039.89764.43435139039&type=1

Nele, Hermeto Pascoal diz:
 “Se as gravadoras não levam meu trabalho para as rádios, se ele não toca em nenhum lugar, para que eu faço música? Não tive e nem vou ter nenhum retorno financeiro com minha obra, mas meu prazer, minha alegria, continua sendo tocar. Por isso, as minhas músicas eu quero mais é que sejam pirateadas. Quero mais é que as pessoas toquem, ouçam, a conheçam. E pra mim, quem reclama da pirataria é quem faz música apenas para vender. Meu valor não são as notas de dinheiro. São as notas musicais”

25 junho 2013

O Problema da Analogia

O problema com analogias: eu mesmo comparilhei o que Bill Gates falou: "Measuring programming progress by lines of code is like measuring aircraft building progress by weight." (Medir o progresso de programação de um sistema por linhas de código é o mesmo que medir o progresso da construção de uma aeronave por peso)

Mas fiquei pensando sobre o assunto no subconsciente. A quantidade de linhas de código nos dá uma ideia do tamanho real de um sistema, e até de sua complexidade. Na média, dá certo... mesmo que o sistema seja mal escrito, isto vai indicar o quão complexo será mantê-lo!!! Se tivesse menos linhas de código para fazer a mesma coisa seria mais simples...

Então voltemos à analogia do tio Bill: Medir o progressos da construção de uma aeronave por peso não faz sentido, mas dá uma ideia do tamanho da nave! Mas uma analogia "melhor" seria medir o progresso da construção de uma nave por quantidade de componentes ativos instalados...

Obviamente nenhuma das duas formas de medição é perfeita, mas tão somente uma aproximação... mas é justamente isto que Gerentes de Projeto precisam: aproximações para tomarem suas decisões.

Não se enganem, no entanto: A moral deste post é a seguinte: COM A CORRETA ANALOGIA PODE-SE "PROVAR" QUALQUER COISA.

25 maio 2013

BRT / Transoeste: Caos, transtornos e mortes patrocinados pelo Governo do Rio de Janeiro

OBS.: Este texto foi escrito 1 mês antes da BRT entrar em operação! Esqueci de promovê-lo de "rascunho" para publicado! Hoje, depois de várias mortes de pedestres e acidentes graves, ficou confirmado tudo que previ! E, para piorar, os ônibus da própria BRT andam superlotados, seus usuários ODEIAM o serviço, etc.

Uma das coisas que eu mais gostaria de fazer no momento era ver a cara do energúmeno que idealizou e projetou esta atrocidade chamada Transoeste (ou BRT). Eu queria mesmo ver a cara do sujeito, ver se a aparência deste ser (que não pode ser humano) mostra toda a extensão de sua burrice extrema. É tanta estupidez que fica até difícil criticar esta obra. Vou começar com uma singela imagem dos transtornos que já está causando antes mesmo de entrar em funcionamento:

Via Pluvial Expressa em 02 de Maio de 2012 (Execução: Prefeitura do Rio de Janeiro, Patrocício: você, eu e o resto dos otários moradores da Cidade Maravilhosa)
Não existe justificativa para este alagamento causado única e exclusivamente por falhas na execução das obras da BRT, que afetaram o escoamento da água pluvial e nos presentearam com um problema nunca antes visto na região.

Mas isto é só a cereja (podre) em cima do sorvete. Qualquer pessoa, por menos inteligente que seja, é capaz de ver que esta obra é uma tragédia anunciada. Para quem não está a par desta obra entender melhor o porquê, vamos começar analisando o problema a que veio resolver:

Todos sabemos que o trânsito no Recreio dos Bandeirantes e na Barra da Tijuca está se tornando caótico. Nos momentos de rush leva-se aproximadamente 1 hora e 30 minutos desde o Shopping Recreio até o início da Barra, na Ponte da Joatinga (Elevado do Joá), um percurso de 20 km que, com algum trânsito, não poderia tomar mais do que 30 minutos. Sabemos também que o percurso afeta tanto o precário transporte público da região, quanto o transporte particular, de carros e ônibus fretados de condomínios. E, para finalizar, o estado das pistas da região é parecido com o solo lunar de tantas crateras e buracos e obstáculos interpostos no caminho de nossos veículos.

A população do Recreio e da Barra está desesperada pela melhora do trânsito, com maior fluidez, menos congestionamentos e opções de rotas alternativas, e também melhora significativa do transporte público, com ônibus confortáveis (climatizados, novos, seguros e higienizados), vias expressas, menos tempo de espera, itinerários inteligentes que atendam às necessidades dos usuários locais (tanto moradores, quanto trabalhadores das cercanias) e não aos interesses e lucros da iniciativa privada, e, sobretudo a constante manutenção das pistas da região, que estão ao Deus dará (para vocês terem uma ideia sempre critiquei os metidos à besta que compravam picapes, SUVs e Land Rovers da vida para andarem na cidade: hoje estou vendendo meu carro para comprar uma SUV, pois não aguento mais ver, impotente, a suspensão do meu automóvel sendo destruída diariamente e ter que alinhá-lo de 4 em 4 meses: na Barra fazemos off-road urbano, nova modalidade esportiva patrocinada pela Prefeitura do Rio).

Qual foi a "solução" dada pela Prefeitura do Rio?
  1. Transformou a via mais interna da pista central da Avenida das Américas, principal via da região, em via exclusiva para o transporte público. 
  2. Criou pontos de ônibus faraônicos no canteiro central desta mesma avenida, recuados para parada dos ônibus da via "expressa" sem obstrução da mesma
Pronto, estas foram as "soluções" dadas pela Prefeitura do Rio para os problemas do trânsito no Recreio e na Barra.

Só uma nota antes de continuar: Prefeito, trasporte de massa NÃO É ÔNIBUS!

É óbvio que estas medidas são insuficientes para resolver o problema, mas poderiam até amenizá-lo se tivessem sido projetadas e realizadas com um mínimo de competência e inteligência. Como o foram, ao invés de melhorar, irão piorar imensamente o que já é insuportável. Por que? Vamos ver se destrinchamos o problema...

Fechamento da pista exclusiva com mureta

A pista exclusiva foi fechada ao trânsito normal com a criação de um murinho de uns 30 cm de altura colocado onde deveria ficar uma faixa informando a exclusividade da via. Quais os problemas desta "solução":
  1. Risco de capotamento: diferentemente do que ocorre com o meio-fio, não existe um espaço de segurança entre esta mureta e a pista de rodagem. Qualquer desvio de direção, por menor que seja, até mesmo para evitar algum obstáculo na pista (buracos, animais, etc.), ou uma simples derrapada (que de outra forma não seria nem perigosa) irão causar o impacto da roda de tração do veículo, em alta velocidade (a velocidade da via não foi reduzida e continua em 80 km/h), com esta mureta, ocasionando, com grande probabilidade, um capotamento e, consequentemente, uma tragédia. Tenho certeza absoluta que iremos presenciar (senão protagonizar) cenas de terror patrocinadas pela nossa Prefeitura nos jornais logo, logo. 
  2. Falta de flexibilidade: ao fechar fisicamente a pista exclusiva a mesma estará fechada ao trânsito convencional independente de horário ou excepcionalidade. Assim o trânsito será (muito) afetado negativamente de madrugada, nos finais de semana (o lazer da praia na região virará o maior dos transtornos imagináveis!) e em todos os horários em que o transporte público não é realmente prioritário. Em casos extraordinários, como acidentes, alagamentos, ou eventos internacionais não haverá possibilidade de usar a terceira pista.
  3. Dificuldade de Resgate: Se algum ônibus parar por defeito (comum em nossa frota precária), ou acidente, o resgate para reboque do mesmo será muito dificultado pela existência da mureta e todo o transporte na via expressa terá que parar, ou passar por cima do mureta (se conseguir) e usar as pistas exclusivas de veículos particulares, tornando o que seria um simples transtorno momentâneo em um grave problema.
Estreitamente das pistas para o uso por automóveis

Como se pode esperar que o trânsito melhore REDUZINDO-se a quantidade de pistas disponíveis? Se 3 pistas não eram suficientes, como esperar que 2 apenas amenizem o problema?

É óbvio que a melhora do trânsito nas grandes cidades passa pela melhora e incentivo ao uso do transporte público. Incentivo ao uso não significa tornar insuportável as demais alternativas, mas sim tornar o transporte público mais atraente.

E quais seriam as alternativas para realmente resolver o problema?

Obviamente deveria ter sido criado, com consulta a urbanistas e ambientalistas, um trem/bonde elevado. Contudo, segundo me informaram, o custo desta obra seria proibitivo... O que é difícil de engolir vendo o gasto que tiveram com a Cidade da Música, que é completamente inútil para toda a sociedade. Mas vamos então assumir como verdadeira esta premissa e tentar chegar em uma solução alternativa nos mesmos moldes da atual.

Primeiro, a Av. das Américas é uma via expressa, e via expressa NÃO PODE TER SINAL DE TRÂNSITO, nem travessia de pedestre, nem carros cortando a pista! Qualquer solução teria que, obrigatoriamente passar pela remoção de todos os sinais.

O canteiro do meio não é nenhum primor de paisagismo, muito menos um reduto ecológico, na verdade é onde se escondem os meliantes que assaltam os motoristas à noite, justamente nos sinais que nunca deveriam existir nesta via expressa.

Para eliminar os sinais bastaria criar diversos retornos subterrâneos, semelhantes à passagem que já existe em frente ao Novo Leblon, mas tanto para carros quanto pedestres. Estes seriam apenas acessíveis pelas pistas laterais que teriam que ter sua velocidade de rodagem reduzida para permitir o acesso seguro pelos retornos e vias afluentes sem necessidade de sinais, apenas de recuos.

Poderíamos manter o "design" da prefeitura para a pista de BRT, mas não reduzir uma pista, e sim usar o canteiro central. Poderíamos transplantar todas as árvores daí para os retornos subterrâneos e laterias das pistas, muito mais bonito. Aumentaríamos para 100km/h a velocidade nas 3 pistas centrais, e diminuiríamos para 50km/h nas laterais.

Tenho plena certeza que acabariam, de uma só vez, todos os engarrafamentos até pelo menos 2020... Exceto, é claro, pelo problema da rotatória da Alvorada, que é um caso à parte (mas que poderia ser facilmente resolvido se tivessem feito tuneis subterrâneos não onde colocaram hoje, uma atrocidade, mas sim para passar para a Av. Ayrton Senna sem ter que cruzar qualquer parte da Av. das Américas...)

Parabéns Governo, por gastar dinheiro, não resolver nada, atrapalhar ainda a população, e mesmo assim se manter no poder. Vocês são fantásticos!

Desenvolvedor viajante do tempo...

Estava viajando aqui na frente do computador, pensando como eu seria o MESTRE aa programação se voltasse para a década de 80 com o que sei hoje, como poderia revolucionar a programação da época, e bla e ble, e bli... Aí me dei conta que não sobreviveria à falta do Intellisense.

05 maio 2013

Novo Fusion: QUE CARRO! Antiga Ford: QUE DECEPÇÃO!

Fui ontem adquirir um Ford Fusion 2.0 Titanium depois de analisar a concorrência e observar os preços alardeados em praticamente todos os meios de comunicação (imprensa, TV, etc.). Me dirigi à Ford da Barra da Tijuca e fui muito "estranhamente" atendido. À começar pelos preços. Vejam o preço da FORD montado hoje:


"Aqui está seu novo carro.

Depois de fazer suas escolhas este é o resultado que você estava esperando: seu carro pronto, com os itens que você mais gosta. Viu só como foi fácil e rápido?

Novo Fusion - 2013
TITANIUM EcoBoost 2.0L Gasolina - Cód. UNA3 - Branco Siberia
por R$ 102.990,00   

 OPCIONAIS
 8 air bags, Advance Trac®, A/C digital, Assistente de partida em rampa, Freio de estacionamento elétrico, MyKey, Rodas 18, Sync Media System, MyFord Touch, GPS, Câmera de ré, Acesso inteligente e partida sem chave."

Segundo o vendedor da FORD o preço deste carro é R$ 126.000. Ou seja: ele quer ganhar em cima do valor sugerido R$ 23.000 e sua justificativa:

"Ah! Alguém tem que pagar pelo ar condicionado e aluguel da loja."

Me digam se isto representa a qualidade do atendimento FORD? E isto no pré-venda! Imagina se você precisar da FORD no pós-venda, depois que eles já ganharam seu dinheiro... Dá para confiar?

O MONTE O SEU CARRO existe então apenas para iludir o cliente à ir em uma concessionária? E olha que o frete "já está incluso" no valor de R$ 102.900 (para SP, tudo bem... que aumentasse R$ 1.000 para o RJ).

O pior é que o vendedor ainda foi me dizer que o Ford Fusion 2.5 Flex, o mais barato, que está por R$ 92.000 no site, lá saía por R$ 102.900!!! Como assim? O de entrada, 2.5, com motor de camionete adaptado, sai pelo preço do 2.0 turbo super-moderno "na loja"?

Mas não parou aí, como minha esposa está querendo pegar um carro do tamanho de Peugeot 208, Novo C3, etc. uma vez que eles evoluíram em conforto suficientemente para aceitarmos um carro desta categoria em casa, ela foi ver o New Fiesta Hatch (carro que foi lançado há 1 ano e pouco e já mudou! Tadinho que quem comprou o anterior... micou!). Também estávamos sabendo os preços do comparativo que saiu na revista 4Rodas, onde ele se saiu melhor que o Peugeot 208 (com teto panorâmico e tudo) porque tem versões mais baratas, uma automática (a única que nos interessa) a SE por R$ 48.900... SURPRESA: Tem para pronta entrega, por módicos R$ 53.000...

Novamente o vendedor disse que o preço do MONTE O SEU CARRO é apenas uma ilusão.

Na minha humilde opinião veicular um preço nos meios de comunicação e no MONTE O SEU CARRO no site e depois praticar outro preço abusivamente diferente configura propaganda enganosa e é um grande desrespeito ao consumidor.

Já estávamos esperando a resposta da FORD, nossa amada montadora, frente ao avanço Coreano. O Novo Ford Fusion coloca estes carros Coreanos no chinelo, mas esperávamos outro comportamento da FORD para com o povo Brasileiro. Uma empresa defendida pelo governo, agraciada com protecionismos até (impostos de importados altíssimos, vantagens para importar do México, etc.), uma empresa assim deveria dar algo de volta ao povo Brasileiro: no mínimo respeito.

Saí da concessionária me sentindo ultrajado e tendo feito papel de otário. Obviamente não comprei nem um (Fusion), nem outro (New Fiesta). O carro da minha esposa será o Peugeot 208 com belíssimo teto panorâmico (além de mais bonito que o da FORD). E o meu ficará esperando a definição do mercado: nada de coreano, mas os alemães estão em um preço muito bom (BMW 318i/320i, Mercedes 180CGi, Audi A4... pelo preço de "R$ 126.000 do Fusion", estes são muito mais tentadores).

Infelizmente, FORD, você tem um carraço nas mãos, mas está deixando sua rede lhe passar uma rasteira daquelas. Lamentável.

13 fevereiro 2013

Novo Hyundai i30 - Só para os bobos

Que tal levar um hatch médio, da categoria do lindo Peugeot 308, do melhor em mecânica Ford Focus, do estranho mas completo C4, do belo e estiloso Bravo, por módicos R$ 75.000? Que tal colocar banco de couro e teto solar e levar este hatch para casa por R$ 85.000? Que tal pagar R$ 50.000 a mais em um carro para levar, debaixo do capô, o mesmo motor 1.6 usado no pequenino HB 20?

Gostou? Então o Hyundai i30 é o seu próximo carro! Olha a maravilha que te espera aqui em baixo:

Novo Hyundai i30 - Completamente diferente do anterior, melhorou em aparência e piorou em TUDO.
Bonitão... segue o conceito dos demais Hyundai, mas convenhamos, não se destaca, em nada, da (acirrada) concorrência atual. Diferentemente do Veloster, que tem na imagem seu diferencial, mesmo que seja cansativo, de mau gosto para muitos (principalmente dos admiradores dos carros alemães de curvas perfeitamente sóbrias e que ficam mais bonitos com o tempo), mas irresistível para outros, o novo i30 não tem motivos para despertar a irracionalidade do povo Brasileiro outra vez. O povo pagou  R$ 85.000 no Veloster (carro pequeno, sem motor compatível com sua proposta, envolvido em propagandas escandalosamente enganosas, e vendido acima de carros de categoria muito superior...) mas pagou por paixão (todo carro que desperte ódio a amor como o Veloster tem mercado de sobra para apaixonados), mas pagar R$ 65.000 que fosse no novo i30 seria muita insensatez, impossível de se justificar pela aparência (motivo pelo qual o Brasileiro passa até fome), e muito menos pelo conteúdo (mais sobre isto depois).

O teto panorâmico do 308 é um caso à parte... sem igual!
O novo i30 não tem diferenciais estéticos para lidar, por exemplo, com o maravilhoso teto panorâmico do Peugeot 308 (opcional que custa ~R$ 2.000 mas exige no mínimo o modelo Allure 2.0 manual) que, com o teto, sai por R$ 59.900, nem chega aos pés da mecânica e diversão proporcionados por um Bravo TJet (R$ 67.560), e está longe de se igualar ao lindo e moderno Chevrolet Cruze Sport (modelo automático por R$ 67.950, com muito mais items de série que o de entrada do i30), e não tem condições de ser mais confortável que o único carro com suspensão independente nas quatro rodas do segmento, o Ford Focus (mas cuidado, ele vai mudar logo, portanto não é bom negócio comprar à menos que ache um muito barato!).

Vamos confrontar o preço do i30 aos seus concorrentes diretos, os hatches médios com motor 1.6 (quando possível) de entrada:

  • Peugeot 308 Active 1.6: R$ 50.000 (você economiza R$ 25.000)
  • Fiat Bravo Essence 1.8: R$ 54.000 (você economiza R$ 21.000)
  • Focus GLX 1.6: R$ 51.500 (você economiza R$ 23.500)
  • Cruze Sport 1.8: R$ 62.000 (você economiza R$ 13.000)

Vamos confrontar o preço do top, automático, de seus concorrentes diretos... Oppsss, não dá! Não existem carros desta categoria com motor 1.6, ou abaixo dos 140 cavalos! Só mesmo a Hyundai para trazer um assim! O 1.6 do i30 novo é um motorzaço, mas só para levar o peso do pequenino HB 20, no i30 será um vexame... horrível! Uma lesma.

Então vamos comparar o i30 com os carros contra os quais a Hyundai o colocou para brigar, uma vez que entrou na faixa de preço dos R$ 75.000 aos R$ 85.000:

  • Honda Civic Sedan EXS Flex automático: R$ 80.000 (você economiza R$ 5.000)
  • Toyota Corolla Altis 2.0 Flex: R$ 81.000 (você economiza R$ 4.000)
  • Honda CR-V LX manual: R$ 87.000 (você gasta mais R$ 2.000 para ter, enfim, uma CR-V!)
  • Peugeot 3008 1.6 Turbo: R$ 85.000 (você empata, mas leva pra casa o melhor crossover do mercado, e infinitamente superior ao i30)
  • Peugeot 408 Sedan Griffe 1.6 turbo: R$ 76.000 (você economiza R$ 9.000)
  • Sportage LX 2.0: R$ 88.000 (por mais R$ 3.000 você leva a sensação SUV do momento - nota: eu não gosto, é caro demais para o que oferece)
  • Cerato Koup 2.0: R$ 83.000 (você economiza R$ 2.000)
  • Citroen DS3 1.6 turbo: R$ 82.000 (você economiza R$ 2.000 para ter um esportivo de verdade na garagem, e muito, muito mais bonito que o i30)
  • Citroen C4 Picasso: R$ 86.500 (por mair R$ 1.500 você leva um carro familiar de verdade)
  • Mitsubishi ASX 2.0: R$ 84.000 (por R$ 1.000 à menos leva uma SUV muito melhor que a Sportage pra casa)
  • Mitsubishi Lancer automático 160cv: R$ 72.000 (você economiza R$ 13.000)
  • Volkswagen Jetta TSi 2.0 turbo (200 cavalos): R$ 84.000 (você economiza R$ 1.000 e leva o melhor carro abaixo de R$ 100.000 do mercado nacional)
Cansei! São tantos carros infinitamente superiores ao novo i30, por preços bem menores ou parelhos, que dá até canseira pesquisar! É muito ALT+TAB pra cá e pra lá, google, FIPE, webmotors... UFA! 

Acho que deu para notar o singelo recado:

NOVO HYUNDAI I30 - SÓ PARA OS BOBOS.